Bullet Journal, Entendendo o Produto

O que é Bullet Journal? Conheça o método

método bujo

O que é Bullet Journal?

O Bullet Journal (também conhecido como BuJo) é um método de organização flexível, onde você tem a liberdade de fazer cada detalhe do caderno do seu jeito, conforme a sua necessidade. O método serve para você se organizar melhor, unindo o que é útil e retirando o que é irrelevante.

 
Sabe quando você tem a sensação de que está guardando muita coisa na cabeça desnecessariamente? E pensa que se for anotar aonde geralmente anotaria, as informações estariam espalhadas por todos os cantos? Pois é. O criador desse método, Ryder Carroll, sofria de DDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade) e sentia muita dificuldade de se organizar, manter o foco e ter uma rotina mais prática.
 
No Bullet Journal você consegue personalizar as páginas, planejar seu futuro, rever seu passado e acompanhar seu presente. Além disso, consegue fazer rastreamento de hábitos, além de incluir o que ele chama de coleções. No site oficial é definido como “uma prática de mindfulness disfarçada de sistema de produtividade. Foi pensado para ajudar você a organizar o seu ‘o quê’ enquanto você se mantém atento ao seu ‘porquê’”.
 

Como funciona o sistema Bullet Journal?

Para que ele funcione é importante que você tenha disponível um caderno e uma caneta (e só). Qualquer outro material extra pode ser usado (adesivos, washitapes, etc), porém não é obrigatório para traçar a metodologia e começar a planejar seu dia a dia. A partir disso, você personaliza as páginas com index, legenda, registro diário, mensal e anual. Acrescenta as coleções se achar necessário (e tá tudo bem não ter, viu?).

 
É tudo do seu jeito, uma ferramenta de autoconhecimento, digamos assim. Eu, por exemplo, sempre amei arte, sou formada na área e o bujo acabou se tornando uma ferramenta de expressão. Gosto de ter as páginas decoradas de forma colorida, ao meu gosto e personalidade. Isso faz com que eu tenha mais facilidade de tocar minha semana. Fica mais leve, mais criativo. Porém essa não é a regra. Se uma caneta bic já faz com que o método funcione pra você, é isso que importa. Existem várias referências de Bullet Journal minimalista lindos pela internet.
 

Passo a passo de como montar o seu Bullet Journal

1. Entenda suas necessidades

No meu caso eu buscava por uma ferramenta onde pudesse compactar todas as minhas demandas e acompanhamentos, mas sem perder minha identidade. Como disse acima, decorar é algo relevante no meu planejamento, então também precisava de espaço pra isso, já que o que encontrava pronto raramente tinha o meu gosto pessoal. Queria poder carregar comigo páginas onde pudesse lembrar o último livro que li, lugares que já visitei… Uma espécie de memória, porém de forma compacta e leve. E você, quais são as suas necessidades? Alguns exemplos para que possa te inspirar:

 

“Não gosto de agendas ou planners tradicionais, sempre deixo páginas em branco. Preciso de algo mais objetivo e que não haja desperdício de páginas.”

“Quero algo mais personalizável, porém que siga minimamente uma ordem para que eu não me perca.”

“Gostaria de ter espaço para escrever muito ou pouco, dependendo do dia.”

“Na agenda nunca entendo pra que serve a visão anual, mensal e semanal/diária. Quero poder escolher o que usar (vamos falar disso por aqui também, mas talvez pra você, mesmo entendendo a razão delas existirem em conjunto, não haja necessidade de usar todas).”

“Tenho hábitos que gostaria de incluir na minha vida, porém não sei como rastrear isso.”

“Preciso de uma ferramenta dinâmica onde possa organizar melhor o lado profissional e pessoal.”

“Acho que só uma lista “bem estruturada” já seria o suficiente para me organizar.”

“Faz muito sentido pensar em o que você gostaria de ter nesse caderno, para que ele seja uma potente ferramenta de organização na sua vida.”

 

2. Escolha o material que vai usar

O Bullet Journal pode ser feito a partir de qualquer caderno. Não tem certo e errado, pode ser de qualquer tamanho, espessura e formato. Aqui na loja você encontra vários cadernos flexíveis super fofos e funcionais, que irão atender a diversas necessidades: cadernos pautados, pontilhados, quadriculados ou lisos.

E tem também uma grande variedade de cor de folha e gramatura. Esses cadernos são mais finos, para que você possa, se achar interessante, usar dentro de um traveler’s notebook. Tem também modelo fichário, caderno de disco ou brochura. Escolha aquele que melhor se identifica!

 

Qual tamanho devo escolher para meu Bullet Journal?

Sempre quando alguém me pergunta qual tamanho escolher, eu sugiro a seguinte reflexão: você vai sair muito com ele? Gosta de algo que seja pequeno e que caiba na bolsa ou um pouco maior para ter mais espaço para escrever? Qual o tamanho da sua letra, grande ou pequena? O mais importante é perceber esses pontos citados, eles vão te dizer ao menos o que você não gosta e assim ficará mais fácil de tomar sua decisão.

De uma forma geral, você vai encontrar uma grande variedade de tamanho de papel no mercado. Os mais comuns são os papeis da família A e B. Não conseguiria falar de todos que existem, portanto vou descrever as medidas de alguns dos tamanhos que você vai encontrar aqui na loja (com excessão do caderno A4), para que você se familiarize com eles:

      • A4 (tamanho 21 x 29,7 cm)
      • A5 (tamanho 14,8 x 21 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 14 x 20 cm
      • Standard/Regular (tamanho 11 x 21 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 11 x 20 cm
      • B6 (12,7 x 17,6 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 12,7 x 17,5 cm
      • Personal (9,5 x 17,1 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 10 x 17 cm
      • A6 (tamanho 10,5 x 14,8 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 10 x 14 cm
      • Passaporte (tamanho 8,9 x 12,4 cm) – aqui na loja ele tem a medida de 9 x 13 cm
      • Micro (tamanho 7,5 x 10 cm)

 

E veja abaixo uma imagem com a proporção 1:1 de todos eles:

 

tamanho miolo bullet journal

 

Qual a gramatura ideal para seu Bullet Journal?

Tudo depende muito da sua necessidade. Se você é mais prático e usa apenas uma bic (ou esferográficas similares), qualquer gramatura funciona. Porém, se você pretende fazer colagens, desenhar ou usar canetas que soltam mais tinta, escolha um caderno com folhas de maior gramatura. Desta forma você evita que a tinta ou cola passem para o outro lado do papel.

Antes de decidir pela gramatura, vale a pena explicar um pouco melhor o que isso significa. A gramatura é a medida da massa pela área de um papel, expressa em gramas por metro quadrado (g/m²). Normalmente os papeis mais pesados são mais grossos, enquanto os papéis mais leves são mais finos, mas podem existir excessões.

Aqui na loja a gente trabalha com 80, 90 e 120 g/m², com variação também em cor de folha.

 

Tipo de miolo

Geralmente o mais usado para a técnica de Bullet Journal são os cadernos pontilhados ou quadriculados, mas nada impede que você use uma folha pautada ou lisa. Como disse, não há certo ou errado, mas sim aquilo que vai funcionar melhor no seu dia a dia. Abaixo segue a ilustração de cada uma dessas 4 folhas citadas:

 

3. Método

Os itens principais que você encontra no método são:

  • Legenda

A legenda no Bullet Journal é feita a partir de símbolos. Eles sinalizam desde se a tarefa foi concluída, adiada, cancelada ou até mesmo não feita até eventos que vão acontecer e pensamentos/ideias soltas. A partir desses símbolos, você consegue ter uma leitura mais dinâmica sobre o que aconteceu e/ou pensou naquele dia, otimizando seu tempo e te ajudando a priorizar o que realmente é importante. O autor Ryder Carroll sugere um formato de legenda onde divide em 3 grupos de símbolos:

A bolinha preenchida representa a tarefa, o traço mostra a anotação que não pode esquecer e a bolinha vazada situações que aconteceram e que quer registrar como aconteceu, sentimentos que teve no momento, etc.

Em tarefas você pode usar a bolinha preenchida quando ainda não foi feita, riscá-la quando estiver completa, desenhar uma setinha pra frente quando precisar reagendar, a setinha para trás quando precisar reagendar para uma data um pouco mais distante e riscá-la quando se tornar irrelevante.

Já em eventos e notas, as marcações não mudam:

pensamentos tracinho

Outra coisa sugerida por ele é que usemos tópicos, além de alguns símbolos de apoio, como asterisco e a exclamação abaixo. O “*” ele usa para itens prioritários e a “!” para sinalizar ideias, mantras, etc.

Imagens tiradas do site oficial sobre Bullet Journal.

  • Coleções

O Bullet Journal é uma estrutura modular, onde cada um desses módulos criados podem ou não serem correlacionados. Cada uma dessas “peças de LEGO” servem para organizar informações. Algumas se interligam de alguma forma, outras são particulares e funcionam sozinhas. Algumas da principais coleções são índice, registro futuro (anual), mensal e diário/semanal. 

As coleções extras são de acordo com sua necessidade, alguns exemplos: planejar uma viagem, cronograma de cuidados com a pele, citações que gostaria de lembrar sempre que precisar, acompanhamento alimentar, controle de hábito de exercício, o quanto bebe de água…

Abaixo minha coleção de livros para ler. Fiz ela no início do ano, conforme for pegando um novo livro, anoto qual é e depois de concluído, pinto o livro 🙂

Índice:

Assim como nos livros, o método sugere que você crie um índice, mencionando as páginas onde ficarão cada tópico. Enumere cada página do seu caderno para que encontre facilmente o que procura. E no Índice, coloque a primeira e última página que represente aquele tópico. Exemplo: “Planejamento de Viagem: 23-30”.

Caso o mesmo conteúdo seja feito também em outra página é só acrescentar da seguinte forma: “Planejamento de Viagem: 23-30; 35-36; 40” .

Registro Futuro:

O Registro Futuro funciona para que possamos registrar eventos, tarefas e notas que não fazem parte do mês atual. Eu gosto de fazer o ano inteiro em 2 páginas, mas existem diversas formas de representação visual. Tem também quem prefira fazer somente os próximos seis meses, fica a seu critério.

Para que o Registro Futuro seja aproveitado da melhor forma, ao começar um novo mês, olhe sempre o que já tem anotado, para que já possa passar para o registro mensal.

Registro Mensal:

O Registro Mensal é a visão de todos os dias do mês em uma ou duas páginas. Além disso, inclui-se uma lista de tarefas para sinalizar as prioridades do mês.

Essa é uma página de referência, portanto busque objetividade na descrição de suas tarefas, notas, eventos, reuniões, aniversários ou médicos. Se tiver algo do mês passado que não foi concluído e ainda é importante, passe para essa página.

View this post on Instagram

E esse é meu mês de janeiro, com os adesivos, die cuts e papéis da @mommylhey 💝💝💝 Eu sou muito fã do #bulletjournal e por isso voltei pra ele esse ano. Foi bom testar o #planner que criei, para poder ver se estava funcionando e também apresentar ele pra vocês (inclusive tem algumas ferramentas por lá que ainda quero mostrar como usa!). Ah, eh fiz uma abinha nesse layout, para que pudesse aproveitar melhor o espaço das 2 páginas com o calendário. Achei muito legal! A ideia é da @thebujophase e pretendo usar mais vezes em outros layouts também! 💚✨💚✨ . . . #bujo #planner #visaomensal #calendario #bulletjournal #meubulletjournal #planwithme #bujolove #travelersnotebook #bulletjournalbr #instabujo #bujobrasil #bujobr

A post shared by Sônia Rondon | Rotina Criativa (@soniarondon_) on

Registro Diário/Semanal:

Essas páginas são as que usamos diariamente. O criador do Bullet Journal sugere que façamos dia após dia, desta forma aproveitamos o espaço de acordo com a necessidade, não sobrando e nem faltando. Mas uma boa parte dos adeptos do método já criam a semana inteira de uma única vez, com o intuito de facilitar os dias que estão por vir.

Migração:

A migração acontece no final do mês, quando você cria o Registro Mensal do mês seguinte e revisita todas as páginas do mês que está acabando para verificar tarefas que não foram feitas ou concluídas, mas que ainda são necessárias.

Sendo assim, você passa para o novo Registro Mensal todas essas informações. Além disso também pode ser feito no momento que você migra de um caderno para o outro. Pode parecer um processo meio desgastante reescrever várias tarefas, porém é intencional. Desta forma você reflete se aquilo é realmente importante.

4. Itens extras para o seu Bullet Journal

Canetas coloridas, washitapes, recortes e colagens

O uso de canetas coloridas pode ser uma grande estratégia visual, para dividir áreas da vida, como pode ser, simplesmente, uma forma de decoração.

Pense principalmente no Bullet Journal como uma ferramenta de organização. Ela foi criada para facilitar a sua vida, então se você percebe que por conta da decoração, ela acaba tomando demais seu tempo, é hora de rever a forma como você está usando.

No meu caso, decorar se tornou um hobby e um momento para treinar minha criatividade e relaxar escutando uma boa música na playlist de planejamento que criamos no Spotify! Porém, para que isso não atrapalhe o meu dia a dia, prefiro fazer tudo de uma vez só, geralmente no Domingo.

Existem diversos estilos de se fazer o Bullet Journal, encontre aquele que melhor se encaixa em sua rotina. Não se compare com os outros, que inclusive na maioria das vezes já praticam Bullet Journal a bastante tempo.

Se por acaso você quiser decorar e acha que também é uma forma de terapia, mas não se sente seguro porque nunca gosta do que faz, comece devagar, pegue várias referências.

Existem alguns materiais que podem te ajudar muito a começar a se soltar:

  • Revistas velhas e embalagens de presente ou de produtos que tenha comprado – ótimo para recortar e fazer colagem. Nessa aqui abaixo eu usei uma sacola da Natura:

 

  • Post-its coloridos (ou caderno baratinho de papelaria, com folhas coloridas)
  • Adesivos
  • Washitapes
  • Carimbos
  • Fotos
  • Clips, pins, charms, bottons e qualquer coisa muito fofa para enfeitar seu bujo!
  • Papéis estampados de scraphook
  • Tinta acrílica ou aquarela
  • Canetinhas, lápis de cor, giz de cera…

Para te ajudar a encontrar seu estilo, eu tenho uma pasta no Pinterest totalmente voltada para isso. Nela você vai encontrar subpastas por categorias, a maioria com a mesma nomenclatura que usei aqui nesse post.

bullet journal no pinterest
 
 

 

Seção de “despejo” ou “brain dump”

Sempre quando começo a semana eu já tenho anotado em algum lugar (muitas vezes é até o bloco de notas do smartphone mesmo) coisas que fui anotando para não esquecer. Esse momento não precisa (mesmo!) ser decorado, ele é um espaço para que você “despeje” tudo da cabeça. Não deixe seu cérebro trabalhando à toa. 

Ele serve também para ideias soltas relacionadas a um tema específico. Para a loja eu tenho um caderno de to-do list, que funciona perfeitamente para isso. Cada página é uma área da loja, vou “soltando” já tudo o que me vem à cabeça. 

Outra ferramenta maravilhosa e que uso para despejar ideias para postagem principalmente é o Trello, você conhece ele? Gostaria que eu mostrasse como trabalho com ele?

Segue um print dos meus boards para vocês entenderem como me divido por lá! 

Post em constante mudança

Termino momentaneamente esse post por aqui. Mas entendo ele como algo orgânico, conforme for aprendendo mais sobre o método e escutando de vocês também, pretendo incluir e editar esse material, para que fique cada vez mais rico e ajude você a se organizar melhor, de forma criativa e leve. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *